quarta-feira, 3 de maio de 2017

Entendi o amor quando descobri que felizes para sempre não existe

Hello Hello, vejam quem está de volta depois de semanas sem vos actualizar nem dar sinal de vida…. Eu! Me desculpem, esses meses está tudo complicado e quando tento arranjar tempo para escrever, o que acontece, não tenho inspiração. Por falar nisso, será que podem colocar nos comentários agora o que gostariam de ler para as próximas vezes? Assim não fico perdida e actualizo com frequência.

Deixemos de ”salamalecos” e vamos directo ao ponto, há dias estava a falar com o senhor meu namorado/noivo que eu cresci a assistir contos de fada na televisão, que ficava fascinada com aquele amor puro e sincero que os personagens transpareciam ou ficava a ver novelas de casais apaixonados, verdadeiras alma gêmeas. Tanto os contos de fadas como as novelas tinham duas coisas em comum: uma bruxa que fica durante toda trama a tentar separar o casal de pombinhos apaixonados até ser desmascarada e aquele, sei lá se posso chamar de logotipo que diz, “e viveram felizes para sempre”. Ahhhhhhhhh, ficava a imaginar, deve existir um príncipe para mim, eu também quero esse viveram felizes para sempre; até que o desmancha prazer o meu namorado/noivo vem que com aquela ladaínha, isso não existe, esses não são casais reais, relacionamentos verdadeiros tem obstáculos sim mas as pessoas que estão nele nunca estarão a todo momento com sorriso de orelha a orelha e por aí continuou com palavras que eu acho que vocês podem concluir.